Poems of Paulo Eduardo

Peace and Joy slowly coming back to my heart

Textos


Viva a vida...porque na funerária...

 

Há uma firma funerária perto do meu prédio, visível da janela do meu corredor, onde pode recolher 3 corpos a serem velados de uma só vez. Passei ali depois de um gostoso café em uma padaria que gosto muito nesta cidade e havia 2 corpos sendo velados, em pleno feriado de 9 de julho. Tive que passar em frente onde estavam os “enlutados”, e os sendo velados. Mas o que eu vi e ouvi foram gostosas gargalhadas e risadas em frente, na calçada da funerária onde os 2 corpos estão (ainda estão neste exato momento) sendo velados. Mesmo que as pessoas sendo veladas tenham sido velhos que a família às vezes deseja que “descansem no SENHOR” pelo sofrimento dos filhos e parentes, deveria haver mais respeito e consideração por aqueles que se foram e não voltam mais. Provavelmente, alguns daqueles “enlutados” nunca sentirão saudades dos falecidos por terem sido “meros amigos ou conhecidos de trabalho” e não parentes de sangue. Muitos parentes de sangue, da mesma forma, não sentirão “tanta saudade” assim porque meio que se viram livres de um velho doente que, às vezes, passou meses em um hospital, a família gastou horrores e depois acabou morrendo, como todos nós um dia.

Acho que nem em muitas festas regadas a muito churrasco, cerveja e vinho, eu vi tantas risadas e gargalhadas gostosas como eu vi em frente à funerária agora pela manhã. Uma vergonha!

Por isso, vivamos a vida porque de amigo mesmo temos somente a JESUS que um dia vai ou não vai nos recolher nos céus. Aqui na terra, logo, logo seremos esquecidos e mesmo os filhos te esquecerão e terão no futuro uma vaga lembrança e “um pouco” de saudade de você e dirão alguns, até hipocritamente: “como eu desejaria que ele/ela estivesse aqui neste momento”.

Enfim, a vida continua, todas as gerações antes de nós já foram embora. Se hoje há 8 bilhões no mundo, a probabilidade de haver 8 bilhões de mortos em 100 anos ou menos, é muito grande. Por isso, não ligue para o que o mundo fala de você, não ligue para aqueles que te criticam por inveja, ciúme ou simplesmente por não gostarem de você. VIVA O HOJE, Carpe Diem, e deixe os zombadores de funerárias rirem à socapa e se divertirem somente porque não são os corpos deles que estão sendo velados, outros rirão deles também e terão exatamente a mesma atitude. E outro poeta fdp vai escrever sobre isso também!

Paulo Eduardo Cardoso Pereira
Enviado por Paulo Eduardo Cardoso Pereira em 09/07/2024

Site do Escritor criado por Recanto das Letras